sábado, 12 de agosto de 2017

O Livro das Sombras

Esse é o nome dado pelas bruxas contemporâneas para o livro no qual são descritos seus rituais, invocações e encantos. Não é um termo antigo surgido na Inquisição, como é erroneamente dito por aí, visto que a maioria das pessoas nesta época era analfabeta, sendo impossível manter um livro escrito à mão. O termo "Livro das Sombras", vem do termo inglês Book Of Shadows e é muito comum você ler esse segundo termo em muitos livros e sites (ou sua abreviação: BOS). Todo coven - e toda(o) bruxa(o) solitária(o) - deve ter o seu Livro, pois é quase que uma base de todo o seu trabalho ritualístico. Tudo o que se refere à Wicca e à Bruxaria pode ser incluído nele. Não se trata de um livro antigo ou famoso, apesar de muitos terem essa impressão. Não existe "um" Livro das Sombras; cada bruxa ou coven tem o seu, tradicionalmente escrito à mão. Esse trabalho escrito é chamado de "livro das sombras" porque seu conteúdo só pode ser a sombra das realidades deste mundo. Nele, você irá escrever todos os seus feitiços, rituais, correspondências, invocações, cânticos e o que mais for necessário para a realização dos rituais. Muitas bruxas e bruxos gostam de ter mais outros dois livros: um para ser usado como diário de sua vida mágica, anotando desde sonhos até pensamentos sobre a religião, e outro para anotar informações históricas, dados sobre o Paganismo etc. Acredito que este seja um modo bastante interessante de se trabalhar.
O Livro das Sombras tem tradicionalmente a capa preta com o pentagrama cravado na capa, mas você pode cravar outros símbolos e até mesmo utilizar outras cores como verde, marrom, azul marinho. Tente se concentrar em cores e materiais naturais. Uma antiga regra dos covens era que, quando alguém morria, seu livro deveria ser queimado. A razão principal era poupar os familiares da bruxa, pois a descoberta de tal livro poderia deixar-lhes em uma situação difícil, especialmente em famílias onde o culto era passado de geração para geração.

Dúvidas sobre o Livro das Sombras
Minha mãe nem "sonha" que eu pratico Bruxaria. Meu B.O.S. fica escondido na casa do meu vizinho. Tem problema? (enviada por e-mail) 

Se ele for bruxo e vocês praticarem juntos, não há o menor problema. Os covens têm seus próprios livros e eles ficam em poder de um só membro do grupo, designado com tal função. Se o seu amigo não for praticante, não é aconselhável.
É errado eu colocar pedras na capa do meu B.O.S. para que as energias das pedras vão para o livro?
Não, muitos praticantes colocam não só pedras como folhas, flores, penas, pêlos etc.
Ainda não sou iniciada(o). Posso ter meu Livro das Sombras?
Deve. Como você viu acima, ele é basicamente um registro de suas atividades na Arte. Sendo assim, é de extrema importância que você crie este vínculo desde o começo, organizando seus pensamentos escrevendo em um livro/caderno/fichário. Você verá rapidamente como seu Livro será um grande aliado, especialmente no começo.
Posso levar o Livro das Sombras para dentro do círculo e utilizá-lo nos rituais?
Não só pode como a prática é bastante comum. Nada mais chato do que precisar de algo que está escrito no seu livro e, quando perceber, ele está super longe e você precisa desmanchar o círculo, quebrando o clima. No entanto, procure não ler nos rituais. A espontaneidade sempre será a melhor pedida.

Livro das Sombras: O que escrever

somb34

Saudações! Uma das dúvidas da maioria dos iniciantes é a respeito do Livro das Sombras. Muitos não sabem por onde começar, o que escrever, como proceder, como fazer o Livro, enfim, inúmeras dúvidas que surgem no momento de fazer seu Livro das Sombras (ou Book of Shadows, no original em inglês). Por causa destas dúvidas, decidi fazer esta postagem a fim de esclarecer alguns quesitos e também desmistificar, porque escrever no Livro das Sombras não é tão difícil quanto parece.
As principais dúvidas são:

1- Comprar pronto ou fazer o próprio Livro?
2- O que escrever primeiro? E depois?
3- E quando o Livro estiver cheio, posso fazer outro?
4- Posso fazer meu Livro no computador?
Com base nestas e outras dúvidas, vamos lá!

1- Comprar pronto ou fazer o próprio Livro das Sombras?
Tanto faz. Você é quem decide. Afinal de contas, existe o ritual de consagração de instrumentos mágicos, que obviamente serve para o Livro das Sombras, então não há problema em comprar um prontinho ou confeccionar. É claro que, se você confeccionar o seu próprio Livro, ele vai ter o seu toque pessoal, vai ter sua energia e será do jeito que você desejar. Porém, existem muitos artesãos que fazem Livros das Sombras belíssimos e que estão disponíveis para venda na internet. Mas não é obrigatório ser “aquele” Livro das Sombras, todo enfeitado, como sempre vemos em postagens por aí. O que vale é o poder que ele terá, portanto, não importa que seja um simples caderno, uma agenda, uma pasta, um fichário, etc. O que importa é que ele é seu e será usado com o propósito mágico. De que adianta ter aquele Livro das Sombras todo chique se você nem sabe como utilizá-lo? Então, saiba que a simplicidade faz parte desta escolha.

2- O que escrever primeiro? E depois?
Pois é, esta é uma pergunta constante, porém, a resposta é mais simples do que você imagina. O Livro das Sombras é como um diário dos bruxos. Nele, você anota tudo o que é relacionado às suas práticas mágicas e o que aprendeu.

Mas como assim? Tudo o quê?
Veja bem, quando você faz a sua auto dedicação e se compromete a estudar a religião Wicca e a Bruxaria, você aprende inúmeras coisas, pois não é simplesmente praticar a magia, é necessário saber o seu significado, suas origens, por que, quando, onde, como, etc. O Livro das Sombras serve para ser consultado em caso de alguma dúvida, pois obviamente, não existe a necessidade de memorizar tudo o que se lê, claro né, se todos memorizassem tudo, não existiriam agendas, diários nem computadores.
Então, vamos por partes:

TERMO DE ABERTURA
Na 1ª página em branco, escreva de próprio punho com qualquer caneta, lápis ou canetinha. Algumas pessoas já me perguntaram sobre uma caneta especial para escrever no Livro das Sombras, que alguém de não sei onde disse que é obrigatório, ora, isto não existe, o que você tiver à mão é o que você vai utilizar. Vai da sua preferência.
Nesta 1ª folha você vai escrever seu nome e as palavras de consagração do Livro, mas não escreva nada copiado, escreva o que vier à sua mente, pois a consagração é sua, o Livro é seu, particular e intransferível. Ah, não se esqueça de fazer isto em uma noite de Lua Nova ou Cheia, após as 18hs, basta jogar sal grosso em volta do lugar onde você está com o Livro, acender uma vela branca e um incenso de mirra ou sândalo. Vou dar um exemplo de algo para escrever para que você tenha uma noção:
“Eu, (seu nome), consagro este Livro das Sombras à Deusa e ao Deus, pois aqui estará toda a magia que utilizarei em honra a eles. Deixo registrado aqui todo o poder, respeito, adoração, consagração e dedicação. Pelo poder da Deusa Mãe e do Deus Pai, pela Lei Tríplice, pela Terra, Fogo, Água, Ar e Espírito, que a partir deste momento fica registrado o laço entre nós e o meu compromisso com as divindades. Que assim seja e assim se faça!”
Após anotar estas palavras, leia-as em voz alta e depois levante o Livro e erga-o para os 4 quadrantes: Norte, Sul, Leste e Oeste. Ao passar por cada quadrante diga: “Peço à Deusa e ao Deus que abençoem este Livro das Sombras e me guiem no caminho sagrado da magia.”
Deixe a vela e o incenso queimarem até o fim, pegue as sobras e enterre. Obs.: Não é necessário que você permaneça no local até a vela terminar, mas tenha o cuidado de não deixar a vela em algum lugar que possa causar acidentes. Após anotar a consagração da 1ª página e finalizar o ritual, seu Livro das Sombras está pronto para ser usado. (Sei que algumas pessoas já fizeram ou já compraram seu Livro das Sombras. Mesmo que você já tenha feito e já escrito algo, não há problema, basta consagrar ok?)

INTRODUÇÃO
Vá até a página seguinte do seu Livro e comece escrevendo com suas palavras, em forma de diário, como você se encontrou na Wicca. Por exemplo:
Conheci a religião Wicca através de um amigo e me identifiquei, por isto decidi segui-la.” Etc, etc, etc. Anote o que vier à mente, pois é a sua intuição que vai te guiar. Imagine daqui a 10 anos, quando você voltar lá no comecinho do Livro e ler as coisas pessoais e sentimentos que você sentia nesta época. Será uma sensação ótima, portanto, escreva de coração. Caso queira enfeitá-lo fazendo desenhos, colando figuras, folhas, símbolos ou coisas que lhe agradam, fique à vontade.
Após preencher 1, 2 ou quantas folhas desejar, vá para o passo seguinte: os estudos. Veja a quantidade de folhas que ainda resta no seu Livro das Sombras e divida-o em 3 partes iguais, com as mesmas quantidades de folhas.

PRIMEIRA PARTE
Anote em cada folha as coisas básicas da religião, pois você precisará consultá-las sempre que necessitar. Separe uma folha para cada tópico. Vamos à listinha básica? 
O que é Wicca? Introdução, dogmas, a Deusa, o Deus, etc.
Éticas e leis wiccans: a Lei Tríplice, as 13 Metas, etc.
A Pirâmide dos bruxos.
A Roda do Ano: datas de cada Sabbath e um resuminho do que significam.
Os Esbbats: um breve resumo do que se trata e se você desejar deixe um espaço para que possa acrescentar o calendário lunar do ano civil em que estamos.
Incensos e suas utilidades. Não precisa ser todos, coloque os que você usa mais e com o tempo poderá aumentar a listinha.
Ervas e suas utilidades. Não precisa ser todas, coloque as que você usa mais e com o tempo poderá aumentar a listinha.
Cristais e suas utilidades. Não precisa ser todos, coloque os que você usa mais e com o tempo poderá aumentar a listinha.
Após anotar tudo isto, a primeira parte do seu Livro das Sombras estará pronta, pois nela você terá o básico da religião. Deixe mais folhas em branco, pois com certeza você precisará anotar mais coisas posteriormente, como tabelas planetárias, magia dos dias da semana, horários mágicos e outros detalhes. Importante: isto não é tudo, o estudo da Bruxaria e Wicca é muito longo, muito extenso. Não pense que só com isso você será um sacerdote ou sacerdotisa, são necessários anos de estudo, esta listinha é apenas a pontinha de tudo.
SEGUNDA PARTE
Esta parte do livro servirá de Grimório, ou seja, é o lugar onde você vai anotar os feitiços e receitas que aprendeu (e está aprendendo), como proceder, o que fazer, enfim, um pequeno manual de feitiços e receitas mágicas. Esta anotação é muito útil, pois quando você precisar consultar algum feitiço, ele estará ali, sempre à mão. Outro detalhe é que, com o tempo de prática, você mesmo vai passar a criar seus próprios feitiços, o que é muito bom, pois terá o seu toque pessoal. Mas não se esqueça das correspondências, cada coisa tem seu significado, ao elaborar um feitiço, observe bem o que está fazendo.
Vale também para receitas de comidas e bebidas mágicas e ritualísticas.
TERCEIRA PARTE
Agora vem a parte do diário. Este espaço do Livro das Sombras vai servir realmente de diário para você. Nele você vai anotar as suas experiências vividas nos rituais. São coisas muito particulares, como por exemplo: Como você fez o ritual? Descreva os detalhes de como foi feito. Qual foi o seu objetivo, o seu propósito, o motivo de ter feito o rito. Foi um Sabbat? Um Esbbat? Um banimento? Uma consagração? Um feitiço? Etc. O que sentiu antes, durante e depois. Meditação: Descreva os mesmos detalhes. Como, quando e onde foi feita, como você se sentiu e quais foram os resultados.
Anotar estas coisas significa que você está acompanhando a sua vida religiosa e faz com que você se sinta mais conectado às divindades, assim como com a natureza e tudo o que está ao seu redor. Vivenciar e anotar estas experiências é muito importante, pois assim você estará aguçando a sua espiritualidade. É claro que podem ser anotadas muito mais coisas, estas que eu mencionei são só alguns exemplos. Outra coisa que pode ser feita também, caso você prefira, seria um Diário Mágico a parte, onde você anotaria estas experiências, deixando o Livro das Sombras somente com 2 partes, o que é bem mais interessante, pois suas anotações particulares ficariam guardadas separadamente. Mais uma vez eu digo: fica a seu critério.

3- E quando o Livro estiver cheio, posso fazer outro?
Claro que sim! Com certeza! Não há problema algum em fazer novos Livros. O anterior continuará tendo valia, pois servirá de consulta. Eu mesma tenho vários, inclusive costumo organizar os tópicos em pastas, assim eu posso acrescentar ou tirar algo do seu devido lugar. Outra coisa muito importante é que, se você fizer um curso ou fizer parte de um Coven, você terá mais de um Livro das Sombras, pois tudo o que você estuda deve ser registrado. E não se desespere para se iniciar, pois durante os anos de estudo, você mesmo(a) vai observar que apenas um ano e um dia não são suficientes. O aprendizado é por toda a vida, todos os dias aprendemos coisas novas, tanto na vida religiosa, quanto na vida pessoal, profissional, amorosa, etc.

4- Posso fazer meu Livro das Sombras no computador?
Claro, por que não? Ah, mas aí vai vir um bruxo tradicionalista dizendo que não, que o certo é fazer o livro e anotar tudo à mão. Ok, senhor bruxo da idade média, eu vivo no século XXI e sou perfeitamente adaptável a mudanças, se você não é, então pra quê tem computador, celular, tablet, smartphone e toda essa parafernalha tecnológica? Livre-se de tudo, então.
Não há problema nenhum em ter um Livro das Sombras no computador, afinal, é muito prático você ter arquivos salvos para ler onde quer que esteja, sem precisar sair por aí carregando um livro enorme e pesado. Sem falar que o Livro das Sombras particular não pode ser visto por outras pessoas, só por você, neste caso, um arquivo com senha vem bem a calhar.

Bênçãos plenas a todos!

Conhecimento Secreto

somb346
O Livro das Sombras, tem esse nome pois nele se escreve todo o conhecimento secreto, os mistérios que vamos aprendendo e/ou descobrindo. Sombras, porque nele esta o oculto, aquilo que olhos profanos não devem ver, nem saber; não se escreve neste livro coisas mundanas, nem se trata de um diário, ou um mero caderno de notas do que se vai juntando por aí, ou o que se ouve falar sobre bruxaria. Também não é uma ferramenta de trabalho, pois se corretamente usado, é o segundo melhor escudo que podemos ter; é uma “arma” de ataque e de defesa, e deve ser manipulado com muito cuidado e respeito. Sempre deve ser feito pelas mãos do seu dono/a, salvo no caso das costuras a máquina, fato do que poucos homens entendem, e por esse motivo necessitarão da colaboração de uma mulher para isso.
Primeiro se faz a parte física do livro, e despois se lhe dá “vida”, através da purificação e consagração. Dessa maneira cria-se uma sintonia com uma das Bruxas Ancestrais, que irão guiando e ensinando a/o bruxa/o que possua o livro, gerando um elo espiritual que se afiançará, na medida que progrida em seus trabalhos, e na responsabilidade que isso implica. É absolutamente importante cada item que fará parte do livro, pois todos juntos formam o canal adequado, para que se estabeleça a conexão com o mundo suprafenomenal, o vasto reservatório de idéias, formado pela maquinaria Universal.
Através desse canal, podemos ir aos Arquivos Akashicos, onde esta guardada a memória de cada um de nós, assim como também a memória arcana da Humanidade e do planeta como um todo. Por tudo isto, o Livro das Sombras não é somente um livro de feitiços, encantos, poções, etc. É também um canal energético, cheio de Vida e Poder, pelo qual podemos deslizar-nos a outras dimensões, e aprender sobre nós mesmos, sobre o mundo no qual vivemos e como cumprir com o propósito de nossa existência atual, para melhorá-lo, até que finalmente se torne um lugar digno de viver, para todos.
Através desse canal podemos conhecer-nos, de forma a descobrir, não somente nossos dons e habilidades inatas, mas também começamos a compreender nosso lugar neste Universo Encantado, onde a Magia Sagrada reina absoluta, sobre as Luzes e as Sombras de nossa consciência ainda adormecida, mas que ânsia por acordar, e cumprir com o propósito que trazemos: cumprir com nossa missão como seres humanos, que buscam trabalhar por sua própria evolução e a da Humanidade.
Em nosso coven, optamos por usar um arquivo, e folhas de oficio, pois é mas fácil de ser manipulado. Salvo em poucos casos específicos, as Bruxas Ancestrais me ensinaram que deve ter um número de folhas igual a 144; estas folhas devem ser numeradas, em uma das beiradas, ou no meio embaixo, e podem ser de cor, não necessariamente brancas. O arquivo deve ser forrado em tecido liso, da cor do signo ascendente do bruxo/a; nos o fizemos de cetim, ou tecido de forro para roupas, porque é brilhante e fica muito bonito; também lhe colocamos guata, para que ficasse acolchoado, o que o torna agradável ao tato.
Despois de forrado, se numeram as páginas e esta pronto para ser trabalhado; o primeiro é dividi-lo em seções, de 12 partes; pode parecer poco, mas não é. As seções ficam divididas pela primeira folha de cada seção, na qual se escreve o nome da seção, e se pode colocar desenhos ou somente um referente a ela; ou simplesmente usar o nome da seção como titulo, e seguir escrevendo na folha sobre o assunto em pauta. As seções são á escolha do bruxo/a, e a ordem delas no livro também; basta usar o bom senso.
Exemplos de assunto para as seções: feitiços, encantos, banhos, poções, visão, ervas, pedras, infusões, cozinha magica, etc. Se o desejar pode contar com minha ajuda para decidir estes temas ou qualquer outro sobre o livro; me sentirei honrada de poder ajudá-lo/a, ou enviar-lhe a orientação de uma das Bruxas Ancestrais, até que você possa contatar uma delas. Vamos a interromper pelo momento este assunto, sobre a confecção do livro, pois é necessário que falemos de algo muito importante antes de prosseguir: o Nome.

O Nome
O Nome representa o que o Ser faz e onde está, por isso é tão importante que o saiba, pois o Ser leva esse Nome porque essa situação, é a que foi chamada para ser no plano físico. Por esse motivo se pode mudar uma vida, através do simples fato de mudar o Nome. Quando a pessoa cresce como Ser, ou seja, completa a missão de ser nesse estado, o Nome lhe fica “pequeno”, deixa de ser relevante e temos de trocá-lo, o que equivale a assumir outra tarefa, para poder continuar evoluindo; se não o fazemos estancamos, estacionamos, nos acomodamos e morremos interiormente. Nossos Nomes são uma linha fluida do estado do Ser, uma linha que conta a evolução pessoal de cada um, como seres individualizados dentro da Harmonia Cósmica. Essa linha tem três etapas iniciais bem definidas, caraterizadas pelo desenvolvimento de ações que não admitem barreiras ou obstáculos.
A descoberta do Nome na primeira etapa, conduz o Ser a um estado de compreensão que vai alem dos planos compreensíveis pelo ser humano comum, que ainda não foi chamado a Ser; pouco compreensível para aqueles que ainda tem Karma, que ainda não tem Dharma. Nesta etapa em que Nome se revela á consciência consciente, entramos na posse de algo inatingível, algo inexplicável, mas que da sentido a tudo, pois estamos numa linha de evolução, que somente a certeza do Nome nos entrega. Essa revelação é nosso “Batismo no Fogo do Espírito”, fogo que nos absorve, nos purifica, tornando-nos o Ponto de União entre a Força Divina e a Magia Concreta.
A força do Nome se origina nos Planos Superiores, de um estado mais elevado da consciência; se origina do despertar no Ser de Algo Superior, do despertar da maior força de todas: a Força do Amor pelo outro, o Amor pela Humanidade. Esse é o segredo do Nome Mágico, pois sua magia se origina da Força do Amor Maior. Força que se faz pequena perante a sombra projetada pelo não-reconhecimento do outro, pela falta de compreensão e Amor pela humanidade. Mas os que estão nessa linha fluida de evolução, jamais esquecerão seus semelhantes, jamais deixarão de ser no outro, de estar no outro, pois dessa forma lhe dão a mão, e o convidam a participar dessa caminhada, pelos sendeiros inefáveis da Sabedoria e a Compreensão no Amor. Sua força, sua habilidade para nutrir aos outros está no Nome Mágico, em seu Nome Sagrado; Sagrado porque provêm do Fogo Estelar do Amor e provêm do fato de que você é o Ponto de União entre sua irmã, a Estrela, e a essência dos animais que conformam a rede, que cobre o planeta com as experiências do Amor.
O sêmen é a experiência do Amor, por essa razão se fala de Homem-Amor. O óvulo é a essência da Estrela, por isso se fala de Mulher-Luz; quando a experiência do Amor, se une com a essência da Estrela… surge você, que simboliza a expressão concreta do Nome Sagrado, sendo chamado a Ser, a União Cósmica do Universo. São três Nomes, uma trilogia de caminhos que marcam o sendeiro da Humanidade; sendeiro que se confirma em cada um dos que ouvem seu Dharma, seu chamado para Ser, até que todos se tornem Estrela, até que todos se tornem Amor.Foram três caminhos, três espirais que culminaram com o Amor feito Homem, herdeiro das Linhagens Sagradas de Minhas Sacerdotisas; o homem foi feito pedaços no Monte da Ignorância, mas Seu Amor feito Caminho, nos abriu a casa do amanhã, e por isso, ao igual que a Mãe Terra, desperta flores de sementes adormecidas, para que o Novo Mundo seja povoado de Homens-Amor, que resgatarão a Humanidade do longo sono em que esteve submersa.
Este livro também tem um Nome, um Nome Mágico, que normalmente se recebe num sonho, ou numa meditação, mas se isso não acontece, você pode escolher um através de sua intuição; seguramente será o correto. Também deve escolher um Nome Mágico para você, um que ninguém saiba, e que não poderá ser revelado, pois esse Nome trata da missão que traz a esta vida. Alem disso, quando o adote e o sinta como realmente seu, e como sendo a expressão do que você é, o Nome Magico, se tornará mais importante que seu nome comum, será seu verdadeiro nome; e a no ser que alguém trabalhe por ou para você com seu Nome Magico, dificilmente alcançara seu objetivo.

O Oval Negro, Símbolo do Éter, Representação de Akasha
Este livro também tem um Nome, um Nome Mágico, que normalmente se recebe num sonho, ou numa meditação, mas se isso não acontece, você pode escolher um através de sua intuição; seguramente será o correto. Também deve escolher um Nome Mágico para você, um que ninguém saiba, e que não poderá ser revelado, pois esse nome trata da missão que traz a esta vida. Alem disso, quando o adote, e o sinta como realmente seu, e como sendo a expressão do que você é, o Nome Magico, se tornará mais importante que seu nome comum, será seu verdadeiro nome; e a no ser que alguém trabalhe por ou para você com seu Nome Magico, dificilmente alcançará seu objetivo. Na primeira folha do livro, fazer um circulo grande no centro, deixando mais ou menos 2 centímetros nas bordas direita e esquerda da folha, e dentro dele desenhar um algo relacionado com a missão do bruxo/a, dono/a do livro.
Na parte superior do lado de fora do circulo, se escreve o nome do livro; embaixo, também na parte externa do circulo, se escreve o nome da Bruxa Ancestral, que sera a guia nos trabalhos. Dentro do circulo do lado esquerdo, escrever seu próprio Nome Magico, e do lado direito, dentro do circulo se escreve o seu nome na Arte, ou seja seu nome pagão publico, que usarás em chats, e-mail, e sempre que se apresentar a outros seguidores do ocultismo ou em seus trabalhos e ensaios. Todos estes nomes devem ser escritos em rúnico; a decoração e as cores ou os materiais que usará em seu livro são de sua escolha, e o mesmo vale para as primeiras páginas das seções; somente tendo que deixar fluir sua criatividade e sua intuição.
Pela experiencia comprovamos que normalmente, temos uma idéia do que vamos fazer, e assim o começamos; mas quando o terminamos fica diferente e muito mais belo do que pensamos no início. Isto acontece porque a Bruxa que lhe guia, vai influenciando seu trabalho dessa forma; mesmo assim poderá ver, que o resultado esta completamente relacionado com você e com sua essência.
Na capa externa frontal, o ideal é trabalhar com um símbolo que tenha fundamento; eu sugiro um Oval Negro, que pode ser recortado en tecido, ou em papel camurçado, ou em papel contact dessa cor, e dentro dele a forma da Lua que represente a Linhagem a qual você pertence. Isso você descobre pela fase lunar do dia do seu nascimento; existem muitas tabelas publicadas por aí, onde pode encontrar essa informação, ou pode mandar pedir, que eu lhe envio o dato. Se decidir fazer o livro assim, mais fácil lhe será contatar-se com os planos supranormais.
Nesse caso ao redor do Oval Negro, deve fazer nove triskles, e embaixo desse oval, antes de pegá-lo ou costurá-lo ao livro colocar uma gota de sangue do seu dedo índice direito; isto não tem nada que ver com pactos com o demônio, significa simplesmente que esta ligando sua energia com o livro, estabelecendo assim, o elo com a Bruxa Ancestral que o guiará em seu caminho magico.

Os Tattwas ou As Marés da Vida e do Amor
Estes símbolos são simples de usar, mas tão poderosos que devem ser usados com cuidado, pois podem produzir resultados muito rápidos.
São cinco figuras geométricas, e representam os quatro elementos :
🌟O Quadrado Amarelo de Privhiti (Terra),
🌟O Triângulo Escarlata de Tejas (Fogo),
🌟O Circulo Azul de Vayu (Ar),
🌟O Crescente Prateado de Apas (Água) 
🌟um Oval Negro, que representa o Éter,ou Akasha, o Espírito dos espíritos.
Estas formas são símbolos das marés que fluem ao redor da Terra, uma seguindo a outra, de forma ordenada; começa com o sol nascente, com Akasha o Espírito, depois flui para Vayu ou Ar, depois segue Tejas ou Fogo e se mistura com Apas ou Água e finalmente Privhiti ou Terra; sendo que Akasha, os atravessa e os circunda a todos permanentemente. Agora vamos falar da Lua, a grande Estrela da bruxaria; já todos conhecem muito sobre as lunações, seus ciclos, a influência que tem sobre a vida humana, a começar pela gestação, a influência sobre as marés, as colheitas, etc..
Neste post quero falar das Quatro Linhagens Sagradas, que se relacionam com as quatro fases da Lua. Cada um de nos pertence a uma delas dependendo da fase da Lua em sua hora de nascimento. O que escrevi anteriormente, sobre Akasha e a Lua, justifica o fato de colocar estes dois símbolos na capa frontal do Livro das Sombras, pois dessa forma nos religamos diretamente com o Éter, o quinto elemento, o elemento que o permeia tudo e a todos no Cosmos. Dessa forma ativamos novamente nosso elo, com a Linhagem a qual pertencemos, a traves do símbolo da Lua que corresponde ao momento exato de nosso nascimento, momento no qual, estávamos em absoluta harmonia com o Universo.
O Triskle ou Triskelion, é um elemento magico encontrado comumente na magia celta; se pode encontrá-lo em forma de estrela de três pontas ou em forma de espirais concêntricas; também representam o tríplice aspecto da Deusa (donzela, mulher madura ou mãe, e anciã) e está presente em todas as manifestações da Vida, inclusive no mundo pagão antigo, quando as estações do ano, estavam divididas somente em três partes: primavera, verão e inverno.
Pelo meu aprendizado com as Bruxas Ancestrais, sei que os chamados “Caminhos”, o da Luz e das Sombras, não são exclusivamente bons ou maus. Elas me ensinaram que o Caminho da Luz esta dividido em duas partes, e que se pode seguir uma ou a outra; estas duas partes são o Caminho da Luz e o Bem, e o Caminho da Luz e o Mal. O mesmo acontece com o Caminho das Sombras; existe o Caminho das Sombras e o Bem e o Caminho das Sombras e o Mal. Aclaro isto pois os Triskles pertencem ao Caminho das Sombras e o Bem, são símbolos relacionados com a fase da Lua Nova, e as Sacerdotisas desta Lua são chamadas de Senhoras das Sombras ou Senhores da Face Escura.
Mais adiante trataremos das Linhagens Sagradas principais, e as secundarias ou Linhagens Bastardas, que se referem a momentos intermediários, entre as quatro fases comumente conhecidas da Lua. Nada disto tem que ver com o mal ou a Magia Negra; estas Sacerdotisas tem um papel fundamental não somente na bruxaria, como também na evolução da Humanidade, pois são as que se relacionam diretamente com o Éter, com Akasha. Agora que já falamos da capa frontal, trataremos da capa posterior do Livro das Sombras. Esta capa é tanto ou mais importante que a frontal, pois nela será construído um Selo, porque na realidade esta é a capa principal do livro; este selo impede que se possa “ver ou ler” mental o espiritualmente o livro, por outros olhos que não sejam de seu dono/a.
Pode parecer coisa de conto de fadas, mas hoje, que já é de conhecimento publico o que a ciência chama de Visão Remota, e inclusive existem revistas e tratados muito simples sobre o assunto, e como executá-lo, o ideal é tomar todas as precauções para evitar que “espiem” nosso livro. O verdadeiro conhecimento sobre fazer ou bem o mal, está muito bem guardado nos planos supranormais, e somente tem acesso direto a esses conhecimentos os puros de coração.
Por esse motivo, ainda seja de lamentar, e ainda que estejamos trabalhando pela evolução de todos, inclusive e principalmente dos que estão mais atrasados no caminho, existem seres que buscam apropriar-se de conhecimentos sobre esses planos, sem estar aptos ainda, a conhecer o mal e não sucumbir a ele, pelo poder que podem obter manobrando as massas manipulando as pessoas a seu antojo e em beneficio próprio. Este selo, deve ser confeccionado depois de ter entrado em contato com a Bruxa que o guiará, pois é ela a que dirá como fazê-lo, ou o inspirará; depende de cada caso o esperar, ou sentir essa intuição, e executá-lo. Depois de todos estes passos, antes de começar a escrever em seu Livro das Sombras, é necessário purificá-lo e consagrá-lo.

Purificação do Livro das sombras
Preparar o altar de forma que tenha espaço suficiente para que caiba o livro encima dele, rodeado por cinco velas, uma para cada ponto cardeal, correspondendo com os Tattwas.Deve ser feito durante a noite, e se possível a meia noite, a uma da manhã se houver horário de verão, durante a fase da Lua correspondente a Linhagem da bruxa/o, que possui o Livro das Sombras. As velas devem ter a cor dos Tattwas, e tem que ir em seu ponto cardeal correspondente, sendo que a preta vai ao Norte e as outras ao seu redor, formando um pentágono imaginário.
Deixar tudo pronto e as 21:00 HS, nesse momento, acender uma vela da cor preferida da Bruxa Ancestral que lhe guia, para que ela faça o equilíbrio entre os mundos, unindo o mundo físico e o mundo Astral. Esta vela é uma vela a parte das outras cinco que vão ao redor do livro.

Dizer :
“Eu (nome magico) peço-te (nome da Bruxa Ancestral), que faças a união entre os mundos físico e astral, de forma que o equilíbrio entre os mundos seja preservado”. Deixar a vela queimando, e a meia noite, (a uma da manhã se estamos em horário de verão) dizer:
“Arcanjo Gabriel, rogo-te que protejas este Circulo Sagrado, de toda influencia negativa e favoreças este trabalho mágico, que cumprirei nesta noite”
Depois disto, ainda com as velas apagadas, (a única acesa é a do Altar, de sete dias, e a que se acendeu as nove, se ainda não terminou) tomar o livro na mão esquerda, fechado, e com a direita pegar um copo com água de mar ou água corrente previamente consagrada, e passe-a em cruz de cima para abaixo e de esquerda a direita, encima do livro na capa frontal, fazendo-o depois na capa posterior, sempre com o livro fechado.
Deixar o copo ao lado, recolocar o livro em meio as velas, e invocar Nixa, Rei do elemento Água, dizendo:
”Nixa, Rei do elemento Água, solicito tua ajuda e a de teus espíritos, neste trabalho magico. Reforça minha vontade e aumenta meu Poder. Faz isto, Oh! Senhor das Águas, em Nome de teu Senhor Gabriel, Arcanjo da Lua” 
Os Reis Elementais sempre devem ser invocados visualizando-os por detrás do seu Arcanjo correspondente.
Nixa, é fluido, e como o Rei da Água, muda de forma freqüentemente; sua aura é azul-esverdeada, fluindo para todos os lados, com reflexos prateados e tentáculos de energia cinzenta. Esta é a visualização tradicional, mas se encontrar outras como a egípcia, ou a do Tarô, também podem ser usadas, se sentir melhor sintonizado. A seguir, acender as velas começando pela preta, seguida da amarela, depois a azul, depois a verde e por último a vermelha. Deixar as velas queimar ate o final.

Consagração do Livro das Sombras
Na noite seguinte a purificação, e tendo deixado o livro no Altar, durante todo o dia no mesmo lugar, a meia noite, ou a uma, em caso do horário de verão, começar a consagração. Para este ritual será preciso ter a fórmula para purificar a água e o sal, e que a vela do altar esteja acesa (vela vermelha de sete dias). Depois de consagrar um pouco de água e de sal, acenda uma varinha de incenso Lunar ou de Câncer.
1° passo – salpicar umas gotas de água consagrada sobre o Livro das Sombras, e dizer:
“Com o Elemento da Água, símbolo de compreensão e da fe, consagro este Livro das Sombras, com o Nome de (nome do Livro) para meu uso.”
2° passo – Fazer o mesmo com o sal e dizer:
“Com Elemento da Terra, símbolo do Crescimento Espiritual, consagro este Livro das Sombras, com o Nome de (nome do livro) para meu uso”.
3° passo – passar a fumaça do incenso pelo livro e dizer:
“Com o Elemento do Fogo, símbolo do Serviço, a Honra e a Lealdade, consagro este Livro das Sombras, com o Nome de (nome do livro) para meu uso”.
4° passo – Aspirar e expirar profundamente sobre o livro e dizer:
“Com o Elemento do Ar, símbolo das Palavras Criadoras do Poder, consagro este Livro das Sombras, com o Nome de (nome do livro) para meu uso, Oh! Poderes dos Reinos Interiores.
Guardem minha promessa feita neste dia: Lutarei com toda minha força para usar este Livro das Sombras com dignidade, verdade e compreensão total de minhas responsabilidades.
Que este dia seja abençoado!”
Agora seu Livro das Sombras está pronto para que possa usá-lo.

Fontes: 
http://olivrodabruxa.blogspot.com.br/
http://wiccabruxariaemagia.blogspot.com.br/
http://magiabruxa.com/

Yantras


ian1O que é um Yantra? YANTRA literalmente significa “apoio” e “instrumento”. Trata-se de um desenho geométrico que atua como uma ferramenta altamente eficiente para a contemplação, a concentração e a meditação. O Yantra fornece um ponto focal que é uma janela para o absoluto. Quando a mente está concentrada em um objeto único e simples (neste caso um Yantra), a vibração mental cessa. Eventualmente, o objeto é descartado quando a mente pode permanecer vazia e silenciosa sem essa ajuda. Nas fases mais avançadas, é possível alcançar a união com Deus através da visualização geométrica de um Yantra. O Yantra é como um retrato microcósmico do macrocosmo. São imagens frequentemente focadas em uma divindade específica, que estabelecem sintonias com certas divindades ou centros de força criativa do universo.
ian2
Os desenhos geralmente são projetados de modo que o olho é levado para o centro. Muitas vezes são simétricos. Podem ser feitos em papel, madeira, metal ou terra, podem até mesmo ser tridimensionais. O Yantra mais famoso da Índia é o Sri Yantra, o Yantra de Tripura Sundari (este da ilustração acima). É um símbolo de todo o cosmos, que serve para lembrar o praticante que não há diferença entre sujeito e objeto.

Como funcionam os Yantras?
ian3
A idéia é que cada forma emite uma frequência específica, um padrão de energia. Símbolos como a estrela de Davi, a estrela de cinco pontas (pentágono), a cruz cristã ou as pirâmides também pode constituir um Yantra. Certos poderes são atribuídos às várias formas. Quando uma pessoa se concentra num Yantra, sua mente é automaticamente “sintonizada” por ressonância à energia específica daquele desenho. O processo de ressonância é então mantido e ampliado. O Yantra atua apenas como um “sintonizador”, um mecanismo, ou uma porta. A energia sutil não vêm do Yantra em si, mas do macrocosmo. Basicamente Yantras são chaves secretas para o estabelecimento de ressonância com as energias benéficas do macrocosmo. Muitas vezes o Yantras podem nos colocar em contato com energias e entidades extremamente elevadas, sendo de inestimável ajuda no caminho espiritual.

Yantras são pouco conhecidos no Ocidente
ian4
Os Yantras não são muito difundidos no mundo ocidental. Muitos consideram-nos apenas como belas imagens e alguns artistas pretendem criar “Yantras” com sua própria imaginação. Mas não é assim que funciona. Cada sentimento, humor, emoção ou qualidade é associado a uma forma de energia. Esta forma inequívoca determina o desenho. Yantras tradicionais foram canalizados pela clarividência, e não inventados. É preciso ser um verdadeiro mestre espiritual, um guru tântrico, para ser capaz de canalizar um YANTRA novo para o mundo.

O Contorno Yantrico:
ian5
Cada Yantra é delimitado a partir do exterior por uma linha ou um grupo de linhas que fazem o seu perímetro. Essas linhas marginais têm a função de manter, conter e evitar a perda das forças mágicas representadas pela estrutura central do Yantra, normalmente o ponto central. As linhas também tem a função de aumentar a sua força mágica e sutil. O núcleo do Yantra é composto por formas geométricas simples: pontos, linhas, triângulos, quadrados, círculos e flores de lótus que representam de formas diferentes as energias sutis. O ponto central é chamado de “bindu”. É o ponto máximo de energia. Geralmente é cercado por diferentes formas, quer um triângulo, um hexágono, um círculo etc. Essas formas dependem da característica da divindade ou aspecto representado pelo Yantra. É simbolicamente considerado Shiva, a fonte de toda a criação.

Principais formas utilizadas:
ian6
O triângulo (trikona) é o símbolo da Shakti, a energia feminina ou aspecto da Criação. O triângulo apontando para baixo representa a yoni, o órgão sexual feminino e o símbolo da fonte suprema do universo. Quando o triângulo está apontando para cima, significa aspiração espiritual intensa, a sublimação da própria natureza para os planos mais sutis. A estrela de seis pontas (SHATKONA) é a superposição de dois triângulos, um apontando para cima e outro para baixo, também conhecida como Estrela de Davi. Outra forma geométrica simples é o círculo, que representa a rotação, um movimento intimamente ligado à forma de espiral que é fundamental na evolução Macrocósmico. Ao mesmo tempo, o círculo representa a perfeição e o vazio feliz criativo. O quadrado (BHUPURA) é geralmente o limite exterior do YANTRA e simbolicamente representa o elemento terra (Prithivi tattva). O Lótus (Padma) é um símbolo da pureza e da variedade, cada pétala de lótus que representa um aspecto distinto. A inclusão de um lótus em um Yantra representa a liberdade de interferências múltiplas e expressa a força absoluta do Ser Supremo.

Como meditar com Yantras
ian7
Um yantra por si só não representa nada. Só quando é despertado pela concentração mental e meditação o processo de ressonância acontece e as energias benéficas macrocósmico se manifestarão no microcosmo do praticante. O ideal é que seja pendurado de frente para o Norte ou Leste. O centro do YANTRA de estar no nível dos olhos. Sente-se na postura que preferir, mas mantenha a coluna ereta. Respire pelo nariz e pela boca, sem forçar, deixe que o fluxo de ar aconteça normalmente. Olhe para o centro do Yantra, tente piscar o mínimo possível. Não repare nos detalhes particulares do desenho, apenas mantenha o foco no centro e observe o YANTRA inteiro de uma vez
ian8
Este exercício deve durar pelo menos 15-30 minutos todos os dias. A experiência será indescritível. Depois de pelo menos sete dias de meditação YANTRA você será capaz de atingir a mesma energia sem o desenho (poderá evocar o YANTRA com os olhos fechados) Não persiga um objetivo específico ao fazer meditação Yantra, simplesmente deixe fluir gradualmente, orientado pelas energias sublimes do macrocosmo.

Fonte: http://www.espiritualismo.hostmach.com.br/

A Pedra de Roswell

A misteriosa A pedra de Roswell, Uma pedra com propriedades magnéticas incomuns, com marcas profundas que parecem ser as fases da Lua, um eclipse solar e a representação de uma supernova, foi descoberta nos arredores de Roswell, Novo México, assustando os investigadores, cientistas e todos que a examinaram. Muitos acreditam que a misteriosa pedra não é natural do planeta Terra, mas o tema gera grande controvérsia no meio científico. O estranho artefato é o segundo registro de possível atividade extraterrestre, ...em menos de um século, ocorrido na área de Roswell. Sam D. LaGrone, prefeito de Roswell, .que de fato viu e tocou a pedra declarou: “É uma pedra muito estranha. Toquei nela, a senti e não identifiquei como poderia ter sido produzida”, completando que ela é mais um elemento que evidência o mistério que envolve a cidade, o Caso Roswell, mesmo 61 anos depois e que supostamente foi acobertado pelas autoridades militares.
O objeto tem uma cor avermelha bem intensa, mede menos de cinco centímetros e pesa aproximadamente 40 gramas. Ela foi encontrada em setembro de 2004, por Robert Ridge, enquanto caçava cervos na Cedar Hill, que fica 17 milhas do incidente ocorrido em 1947. “Vi algumas pegadas recentes no solo e as segui. Foi quando notei a pedra parcialmente exposta ao lado de um buraco na areia. Mas não a peguei porque pensava que havia cervos um pouco mais para cima da colina”, declarou Ridge alegando que depois voltou ao local só pegar a pedra.
Depois de mostrar a pedra para a família e seus amigos, ele a guardou em uma caixa num depósito seguro até o ano o ano de 2007, quando a curiosidade para descobrir sua verdadeira história falou mais alto. Em julho de 2007 Robert Ridge foi apresentado aos ufólogos Chuck Zukowski e Debbie Ziegelmeyer e mostrou o material. Ridge informou que os ufólogos ficaram bastante impressionados chegando até a mostrar a pedra a vários especialistas, incluindo os melhores antropólogos do Novo México e todos eles afirmaram que jamais viram algo parecido com isto. Segundo Zukowski não havia nenhum jeito desta pedra ter sido marcada ou perfurada sem equipamentos modernos e sofisticados e sem o uso de laser ou jatos d’água de alta velocidade para alimentarem as brocas.

As características magnéticas
pedraros2 marca plantacao
A imagem do artefato parece literalmente ter sido arrancada da superfície da pedra de minério ferroso e vermelho. Além das estranhas inscrições encontradas na pedra ela possui uma outra característica muito peculiar: o objeto possui propriedades magnéticas capazes de fazer o ponteiro de uma bússola girar e registrar seu campo magnético há metros de distância. “A pedra oval também irá girar quando um imã for colocado em cima da superfície da imagem dependendo de sua posição” acrescentou Zukowski. Arqueólogos que viram a pedra querem submetê-la a uma análise de laboratório, o que eles chamam de fase dois de suas investigações. Um antropólogo descreveu a pedra como sendo semelhante a um magneto. Os magnetos foram mencionados na literatura durante séculos como pedras possuindo propriedades mágicas e místicas. Existem lendas antigas onde as pessoas informam que quando seguravam os magnetos em suas mãos o seu corpo tremia e que este tipo de pedra já curou uma porção de doenças, inclusive picadas de cobra e dores de cabeça.
Enquanto isso, os ufólogos afirmam que o desenho contido na pedra é parecido com os círculos ingleses que apareceram em várias cidades da Inglaterra, indicando a possibilidade da pedra conter uma mensagem do espaço. Priscilla Woolf, de Tijeras, uma norte-americana conhecida por ter poderes sobrenaturais, visitou o local onde a pedra foi encontrada e afirmou que sentiu uma vibração em suas mãos quando segurou a pedra e que percebeu que uma luz veio do céu quando a colocou no local onde foi encontrada. “Embora a pedra tenha sido encontrada parcialmente exposta na superfície, a área arenosa na qual esta foi achada é conhecida por sua erosão constante, o que possivelmente escondeu a pedra durante vários anos”, explicou Zukowski. “Depois que tive contato com esta pedra por alguns meses, comecei a pensar que ela poderia ser algum tipo de código, ou até mesmo uma mensagem”, finalizou Ridge.
Fonte: http://caixadepandora.xpg.uol.com.br/

As Runas das Bruxas


Foram citadas pela primera vez no livro “La tapa del caldero” (Lid Off the Cauldron: Handbook for Witches) de Patricia Crowther. A imagem ao lado é de meu jogo de runas pessoal, por ser um tipo de método divinatório pouco comum, é praticamente impossível encontrá-las à venda, algo que durará pouco imagino. De qualquer modo, o recomendável, como em toda ferramenta mágicka, é manufaturá-las e consagrá-las você mesmo... Este jogo de runas é utilizado como método divinatório por algumas bruxas.
Se desconhece sua origem, embora pareça que para sua realização foram utilizados símbolos empregados pelo povo cigano em suas mancias divinatórias. Cada uma das oito runas corresponde a um dos sabbats do ano, o que permite uma variação simbólica na leitura da tirada, assim mesmo, algumas delas têm um conteúdo dual em sua leitura do tipo sim- não, feminino-masculino. Todas as runas são jogadas para o ar, sobre um pano, descartando aquelas que caem viradas para baixo. Tampouco vamos considerar as que caem fora do pano. As runas que caem juntas têm significado combinado, assim como uma runa sobre outra pode dizer que esta runa está influenciando fortemente a outra ou está subordinada à primeira. É aí que entra em jogo a intuição do intérprete.
A runa guia, líder ou runa dominante é aquela que se encontra mais próxima do intérprete, não do consultante. A distância das runas entre si e sua distância para conosco também nos dá uma ideia de uma linha temporal no momento da leitura. Naturalmente no caso de obter uma leitura sem nenhuma runa válida (todas invertidas, fora do pano, etc.) se subentende que não é o momento de conhecer a resposta e não se deve voltar a consultar isso tão cedo.

O SOL

runbru sol
runbru sol
Palavras-chave: êxito e progresso
Significado: força, uma autoridade, um padre.
Sabá: Mabon
Número: 1
Gênero: masculino
Interpretada como: "SIM"
Esta runa simboliza a força e a autoridade, o poder e a confiança, também a superação de dificuldades e a consecução de objetivos. Também nos fala de crescimento pessoal e evolução.

A LUA

runbru lua
runbru lua
Palavra-chave: mudança
Significado: Feminilidade. O fluxo das marés. Conhecimento feminino e sabedoria, consciência psíquica e ocultismo.
Sabá: Samhain
Número: 2
Gênero: Feminino
Interpretada como: "NÃO"
Esta runa representa a sensualidade, o feminino, o fluxo das marés, a sabedoria oculta, a percepção psíquica e tudo que é oculto e misterioso. Como a lua também representa influência. Esta runa carrega um componente temporário adicionado em sua leitura, relativo à mudança que representa, é de se esperar que esta ocorra entre os 28 dias do ciclo lunar. Geralmente esta runa aparece em consultas que tenham a ver com mulheres e é importante sempre levar em conta as runas que a rodeiam. Esta runa é um mensageiro que fala de mudanças na vida, os quais normalmente têm mais a ver com processos interiores da pessoa do que com alterações no âmbito material.

OS ANÉIS

runbru aneis
runbru aneis
Palavras-chave: amor, relações e empatia
Significado: encontros. Pode representar um matrimônio.
Sabá: Yule
Número: 3
Gênero: masculino
Em um relacionamento pode significar união ou casamento. Tem um conteúdo de compromisso e às vezes uma nova abordagem de algo já relacionado. Naturalmente é a runa do amor e se é a runa dominante pode ser lida como "SIM", sempre carrega implícita uma carga de relação.

AS LANÇAS CRUZADAS

runbru lanca
runbu lancas
Palavras-chave: guerra, negatividade.
Significado: representa os argumentos e fatos negativos
Sabá: Imbolc
Número: 4
Gênero: Feminino
Ela representa os fatos e argumentos negativos, assim como brigas e discussões. Se está perto de uma runa positiva pode significar o fim da algo, cura ou até mesmo uma promoção. É especialmente importante considerar as runas circundantes e sua distância.

A SERPENTE

runbru serpente
run serpente
Palavras-chave: amigos, familia, viagens
Significado: deriva-se seu significado, geralmente, das outras pedras mais próximas dela
Sabá: Ostara
Número: 5
Gênero: masculino
O cÍrculo afetivo composto por teus familiares e amigos está representado por esta runa. Normalmente é interpretada como movimento, mudança e inclusive viagem. De qualquer modo não é uma runa estática definitivamente. Qualquer uma destas possibilidades é influenciada pela presença das runas ao seu redor. Salientamos também que a proximidade da runa sol indica um movimento externo e da lua um movimento de natureza interior.

AS AVES

runbru aves
Palavra-chave: mudança inesperada
Significado: notícia inesperada que pode mudar sua vida completamente
Sabá: Beltane
Número: 6
Gênero: feminino
Esta runa somente implica mudanças de natureza inevitável, especialmente se é uma runa guia. As runas circundantes podem indicar pistas sobre a origem das mesmas. Esta runa tem uma forte carga simbólica em relação às notícias e novidades, mensageiros e correspondência e quanto a ciclos e migrações. Pode representar notícias ou visitas de pessoas com as quais se havia perdido contato.

A ESPIGA DE MILHO

runbru milho
Palavras-chave: natureza, boa sorte e abundância
Significado: florescimento de algo novo, felicidade
Sabá: Litha
Número: 7
Gênero: masculino
Interpretada como: "Sim"
Esta runa simboliza a conquista e o êxito em todos os âmbitos, por isto é fundamental ter clareza sobre a influência das runas, que pela proximidade, podem influir de algum modo. Em conjunto com as aves pode, por exemplo, significar uma viagem ou mudança feita de forma bem sucedida. Em união com os anéis, sucesso em uma relação comercial ou amorosa. Anexada ao Sol, sucesso no trabalho.

A CICATRIZ

runbru cicatriz
Palavras-chave: fim. destruição, dificuldades e dor
Significado: rescisão ou execução de algo
Sabá: Lammas
Número: 8
Gênero: Feminino
Interpretada como: "ABSOLUTAMENTE NÃO"
A cicatriz ou runa negra, implica o desaparecimento de algo cujo sentido positivo ou negativo possivelmente está determinado pela proximidade de outras runas. É uma runa dura que carrega implícito a inevitabilidade de algumas experiências por mais dolorosos que sejam. É a runa da aprendizagem e humildade. Possivelmente é a runa com a qual mais temos que considerar o alcance e a natureza das runas em torno dela.
Fonte: 
http://lizzabathory.blogspot.com.br/

Extraído e expandido a partir de: 
http://www.saberoculto.es

Traduzido por Lizza Bathory de Templo de la Luna Azul